6 de out de 2010

Meu Rascunho

Folhas espalhadas, gavetas reviradas. Simplesmente rascunhos antigos para recordar.



De que serve a borracha se eu escrevo a caneta? De que servem momentos tristes se eu não posso apagá-los? De que serve a borracha, afinal? Elas não apagam nossos erros, apagam apenas os vestígios no papel.

- Todos os dias da minha vida eu acordei e vi você. E não é amanhã que isso deixará de acontecer.
- Ás vezes, o amanhã pode demorar a surgir. Se tu me olhasses nos olhos eu te contaria a verdade.
- Então, será melhor eu te deixar viver o hoje e te procurar amanhã.
- Diga-me que tu se importas comigo e eu nunca deixarei de pensar em ti.



© Todos os direitos reservados - Não copiar os textos acima

Nenhum comentário: